por Jayme Silva

Grupo Escolar Cônego João Pio

Com quase um século, o Grupo Escolar Cônego João Pio é parte integrante do patrimônio histórico e cultural de São Domingos do Prata. Além d...

domingo, 16 de setembro de 2012

Minério de São Domingos

Um tema interessante e sugestivo para abordarmos é sobre a exploração e o potencial minerário do município de São Domingos do Prata. É interessante do ponto de vista histórico e sugestivo em razão do atual momento que se encontra o setor de mineração no Brasil, com muitos investimentos, grande valorização dos ativos minerais e a intenção do governo em elevar o valor sobre a retirada de substâncias de jazidas para fins comerciais, conhecido como Royalties mineral.
Foto 2 - Jazida do Lucas - anos 50
Embora a mineração não represente nos dias atuais a atividade âncora na economia do município, teve no passado um papel importante por ter promovido a geração de empregos e serviços que movimentaram, principalmente, as comunidades de Ilhéus do Prata, Santa Rita e Cônego João Pio, devido à extração do minério de manganês nas minas do Lucas e do Portão. Esse mineral foi um dos primeiros produzidos regularmente no Brasil e data do século XIX, quando o manganês do Estado de Minas Gerais era exportado para os Estados Unidos a fim de ser utilizado na siderurgia.
Fróes Abreu, geógrafo e cientista brasileiro, relatou em suas pesquisas que em 1916 já havia sido identificada a existência de notável jazida de manganês no distrito de Saúde (MG). Informações publicadas pelo Departamento Nacional de Produção Mineral – DNPM mencionam registro de lavra no ano de 1944 pela empresa Continental de Minérios LTDA na Jazida do Lucas, localizada aproximadamente a 5 km da Vila de Ilhéus do Prata. Posteriormente, cita relatório referente à Mina do Portão, que se situa na divisa do distrito de Cônego João Pio e o município de Dom Silvério, cujo titular é a Tratex Mineração LTDA.
Foto1 - 1922  - Jazida do Lucas
A atividade mineral em nossa região absorveu grande demanda de mão-de-obra para extrair, beneficiar e transportar em caminhões o minério de manganês produzido. Apesar dos efeitos positivos sobre a economia, deixaram lembranças amargas para muitas famílias que assistiram o sofrimento de parentes e amigos, vítimas de acidentes de trabalho. Problemas ambientais também deixaram suas marcas, como por exemplo, o episódio do rompimento de uma das barragens da Jazida do Lucas que, ao vazar bruscamente, transformou o Ribeirão Santa Rita numa avalanche, destruindo pontes, plantações e inundando com lama a parte baixa da Vila de Ilhéus do Prata. Este grave acidente, ocorrido na década de 70, é sempre lembrado pelos moradores antigos da comunidade e também aqueles que, como eu, testemunharam o fato.
Enquanto a produção foi facilitada pela abundância do minério de boa qualidade na superfície, estas jazidas foram beneficiadas pelo baixo custo operacional e provavelmente geraram boa rentabilidade. Com o passar do tempo, outras reservas começaram a ser exploradas em várias partes do país em condições mais favoráveis, aumentando assim, a oferta e a competitividade do setor. Estes fatos, aliados à logística e ao maior rigor das leis trabalhistas e ambientais, contribuíram para o enfraquecimento das atividades nas pequenas minas, como as existentes em nosso município.
Ainda existe aqui o minério com valor de mercado, hoje alojado em locais mais profundos e que, certamente, serão extraídos quando os benefícios compensarem os investimentos. Não podemos esquecer que o minério de São Domingos não se restringe apenas às reservas já conhecidas, mas a uma infinidade de minerais que aqui repousam, aguardando o momento para gerarem riquezas e desenvolverem nosso município, respeitando a sociedade e o meio em que vivemos.

Nota: Atualmente, a Mina do Lucas se encontra em regime precário de funcionamento, retirando em doses homeopáticas apenas as partículas de minérios segregadas no passado. A Mina do Portão tem uma produção limitada e há rumores de que a empresa que detém os direitos de exploração se prepara para aumentar a produtividade com aquisição de novos equipamentos.

Foto: 1, 3 e 4 - Gentilmente cedido por João Perdição
Foto:2, 5, 6 e 7 - Gentilmente cedido pela família de José Onofre

Saudações,
Serginho Rocha
Foto 3 - Sesmaria do Lucas - Registro de 1922
Foto 4 - Presença do minério na superfície - inicio da exploração
Foto 5 - Minas do Lucas - caminhões da empresa continental
Foto  6 e 7 - Minas do Lucas -  Comunidade em torno da Jazida
Abaixo registro de 2009 / Jazida do Lucas
Degradação e passivo ambiental
Lagoa utilizada na lavagem do minério
Vista da Jazida do Lucas 
Partículas de minério segregada no passado


9 comentários:

  1. Ei Serginho,bom dia
    Não é novidade pra ninguém que a extração de minério é indispensável para a indústria,
    por outro lado o impacto ambiental se reflete diretamente na natureza, ela é quem paga o pato, pois os danos são irreversíveis, e por tabela nós estamos no meio disto tudo.
    Mas enfim... é o preço do progresso.
    Achei linda esta lagoa, gostei muito também da foto nº 5.
    Um abraço pra você.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário!
      Você tem razão!

      Um abraço,
      Serginho Rocha.

      Excluir
  2. Ótima matéria serginho! Um verdadeiro resgate da história do nosso município! Essa primeira foto colorida é recente? Não sabia que a situação ali era tão ruim assim!
    Forte abraço e mais uma vez parabéns por esse trabalho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Ademar!
      As fotos que você refere, são relativamente recentes.
      Um abraço,
      Serginho Rocha

      Excluir
  3. oi serginho sou d santa rita d cassia e gostei muit d seu blog sou apaixonada com esses lugares q vc postou ,meu avo trabalhou a vida toda nessa mineraçao era muito bom esse tenpo tenho 39 anos mas lembro direitinho d tudo q passamos nesse paraiso.parabens vc foi d+++ abraço.mariza

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mariza!
      Obrigado pelo comentário.
      Serginho Rocha

      Excluir
  4. barragem de rejeitos estourar ilhéus ja vivenciou então... me lembro quando as águas do ribeirão ficavam barrentas , e o pessoal dizia que estavam lavando minério....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vivenciei sim! A primeira de três represas rompeu-se. Houve um grande estrago ambiental na época. Sobre a água barrenta, era sim, devido a lavagem do minério. Lavar o minério fazia parte do processo.

      abs

      Serginho Rocha

      Excluir
  5. sem os minerios estariamos ate hoje morando em cavernas .porem a agua que se usa pra lavar minerio nao se usa , e so peneirar direito,quanto a mata e so replantar em outro local nao mineravel. mineraçao e o futuro de toda naçao ok

    ResponderExcluir