domingo, 18 de outubro de 2015

Água de beber

A natureza é reativa. Estamos vivendo a falta de chuva, calor excessivo, redução dos níveis das águas dos rios e nascentes.  É importante refletir sobre as questões ambientais, principalmente sobre a nossa postura. Será que estamos agindo ambientalmente correto? Preservar a natureza é vital e começa com a conscientização.
Contudo, para enfrentar os desafios do calor, que está acima do normal para esta época do ano, é  importante cuidar da hidratação. O corpo precisa liberar calor por meio do suor para manter a temperatura corporal - eliminando água e sais minerais. Sem a quantidade de água e sais minerais necessários, a pessoa fica com o metabolismo comprometido, podendo ter mais chances de sofrer lesões musculares, tonturas, cãibras, diminuição do desempenho físico, menor disposição e dificuldades de concentração.
"A sede é um sintoma tardio de falta de água - significa que o nosso corpo já está sofrendo uma pequena desidratação. Por isso, é recomendado beber água aos poucos durante o dia, antes que a sede apareça. Uma dica para saber se seu corpo precisa de líquido é a urina - se for ao banheiro e perceber que ela está com cor escura e odores fortes, você está ingerindo pouca água. A urina deve estar bem clara, quase transparente!" (Fonte:http://www.minhavida.com.br/saude)
Mina de Ilhéus - hoje com vazão reduzido em 90%.
Saudações,
Serginho Rocha

domingo, 11 de outubro de 2015

A paz de Ilhéus

Mais um pouco de Ilhéus!!! Mais um pouco de paz!!!

Saudações,
Serginho Rocha 


“A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade. A dor é inevitável. O sofrimento é opcional."

(Carlos Drummond de Andrade)

domingo, 4 de outubro de 2015

Encontro com Miguel

A primavera chegou e setembro se foi!!! No último sábado de setembro comemoramos mais um aniversário do Miguel Cotta. Como de costume, família reunida e a noite foi marcado com muita alegria, boas conversas e cantoria ao som do violão. 
Segue alguns registros!!!
Saudações!

Serginho Rocha


Sávio, Rafael, Miguel e Maria Eugenia
Lídia e sobrinhos
Alegria e aconchego da família
Junior, Maria Eugenia e Marcos
presença dos amigos
Brinde ao Miguel
Violão e cantoria
Historias de pescadores

domingo, 27 de setembro de 2015

Fossa Séptica

Achei interessante e útil esta matéria. Refere-se de um tratamento biológico caseiro de fácil construção e custo baixo. Segue como sugestão.
Saudações!
Serginho Rocha

A fossa séptica é uma unidade que trata, a nível primário, os esgotos domiciliares. Nela, é feita a divisão físico-química da matéria sólida presente no esgoto. É encontrada principalmente, como destino de efluentes domésticos em residências da zona rural.
Funciona como um grande benefício no saneamento básico, por colaborar com a prevenção de doenças originadas pela falta de cuidados básicos com a higiene. Geralmente, utilizada em domicílios nos quais não há um serviço de tratamento de esgoto.

Partes de uma fossa séptica
Câmara de decantação: Local de decantação da matéria suspensa no material despejado;
Câmara de digestão: Neste compartimento ocorre o acúmulo e a quebra da matéria decantada;
Câmara de escuma: Espaço reservado para a parte da matéria que não decantou no incio do processo;
Despejos: Material líquido depositado das instalações domésticas, às quais a fossa séptica presta assistência sanitária, com exceção da água de chuvas.
Lodo digerido: Semilíquido, produto da digestão do material decantado na fossa.

Objetivo
Impedir perigo de contaminação de Fontes responsáveis por abastecimento de domicílio.
Impedir alteração das condições de vida dos ecossistemas aquáticos em suas proximidades.
Impedir poluição de águas subterrâneas
que sirvam tanto para abastecimento direto de seres humanos quanto em outras modalidades como irrigação de plantações, bebida para animais dentre outras.

Funcionamento
O processo de funcionamento das fossas sépticas inicia com a retenção do esgoto que fica detido na fossa durante um período 24horas, aproximadamente. Simultaneamente, acontece uma sedimentação do material sólido presente no esgoto. Esse se deposita no fundo da fossa, formando um semilíquido, denominado lodo, enquanto a outra parte, constituída basicamente por graxas, óleos e outros materiais fluidos, mantem-se emersa. Esse composto é chamado escuma.
Seguindo a essa etapa, apresenta-se a digestão anaeróbia do lodo, que consiste num ataque forte de bactérias anaeróbicas ao lodo, anulando parcial ou totalmente a ação das substâncias voláteis e dos microorganismos patogênicos.
Com isso, ocorre grande redução de sólidos, líquidos e estabilização dos gases, o que permite que seus efluentes líquidos sejam dispostos com maior segurança para o meio ambiente.

fonte:http://www.infoescola.com/ecologia/fossa-septica/

domingo, 20 de setembro de 2015

Fogão de lenha

Efigênia dos Santos e a alegria na arte de cozinhar
Apesar da facilidade e praticidade dos fogões a gás, que é indispensável em todas as cozinhas, aqui em Ilhéus do Prata, muitos ainda não dispensaram os antigos fogões a lenha. É comum encontrar nas cozinhas os dois tipos de fogões. Isso significa também, que a cultura de manusear, usar e cozinhar nos fogões a lenha continua passando para geração futuras, o que é bom nos sentidos de preservar a arte e proporcionar sempre, as comidas saborosas típicas deste equipamento artesanal e simples.

Além de ser usado para preparar as comidas, o fogão a lenha é aproveitado para aquecer água do chuveiro e torneiras. Funciona como lareira em época de frio e mantem os alimentos em temperatura para consumo por várias horas. Quando tem o forno acoplado na lateral, o fogão é usado para preparar os assados, carnes e massas. É muito comum também, aproveitar a fuga da fumaça e calor das trempes para fazer os defumados, como toucinhos e linguiças. Tem várias utilidades, depende da criatividade de cada um.   

Lembro-me muito bem, na casa dos meus avós em Ilhéus, onde efetivamente morei até os dez anos de idade, quando a cozinha se transformava em sala de visita. A família se reunia próximo ao fogão de lenha. Sentado numa cadeira de palha, em frente ao fogão, meu avô Quito preparava pacientemente o leite “queimadinho” todas as noites. Na trempe, uma panela de ferro com feijão e outra de pedra com água. O fogo sempre aceso e o bule de café no canto. Aliás, não me lembro daquele fogão sem o fogo e do bule sem o café. Com muita simplicidade dizia sempre meu avô: “aqui vive-se assim!!!”

Saudações!!!

Serginho Rocha

domingo, 13 de setembro de 2015

Lembranças de Ilhéus

Antigamente em Ilhéus era comum cavalos e charretes nas ruas. Os transportes de cargas eram feitas também, por carro de boi ou tropas de burros e mulas. Tinha Jardineira, Ford 350 e Jeep com tração nas 4 rodas.

As pessoas paravam na rua para conversar e tinham os costumes de visitar os amigos, sem avisa-los. As famílias se reuniam a noite para rezar e compartilhar suas orações.
Escola Estadual Major Oliveira
A Escola Estadual Major Oliveira fornecia uma merenda escolar apetitosa. Nas festas juninas as fogueiras eram imensas e as quadrilhas acompanhadas por sanfoneiros. Eram mais de 400 alunos.

As casas eram abastecidas com água da mina. As lavadeiras lavavam as roupas no bicão e secavam nas cercas de arames farpados, que substituíam os varais.
Rua de Cima - Igreja Antiga e a Jardineira
O ribeirão Santa Rita tinha bons pesqueiros e rebojos, onde era possível nadar. A água do ribeirão era usada para tocar moinhos e açude que gerava luz elétrica para o povoado.

Todas as tardes tinha bola no campo. Nas tardes de domingo, tinha jogo oficial do Guarani, XV de novembro ou Mendesdão. O campo ficava lotado.

Guarani - Primeiro time de futebol de Ilheus
Na festa da Padroeira, tinha Missa, procissão e leilão no adro da Igreja. A noite tinha hora dançante na Chimarra ou Cine Califórnia.

As Fazendas e propriedades rurais produziam leite, cana de açúcar, milho, café, arroz, feijão, rapadura, cachaça, carnes, madeiras. Era comum fazer trocas de mercadorias ou barganhas.
  
Jeep com tração nas 4 rodas
Ilhéus era assim e muito mais!!!

Saudações!!!


Serginho Rocha 
P.S.: fotos publicadas e disponibilizadas no Facebook - grupo Ilhéus do Prata

domingo, 6 de setembro de 2015

Plantio de Eucaliptos

Ao fundo local do plantio de eucalipto
Brevemente o entorno da Vila de Ilhéus do Prata mudará o visual de pastagem para um deserto verde. A Cenibra, empresa produtora de Celulose localizada no Leste de Minas Gerais, adquiriu terras próximas a comunidade do distrito para o plantio de eucalipto, cujo o objetivo, é extrair a polpa da árvore para fabricação do papel.

Muitas são as dúvidas que surgem entre os moradores, que ora veem algumas ameaças, como contaminação das aguas de servidão que nasce das cabeceiras, próxima da área do plantio, e outrora, veem oportunidades em recuperar áreas degradadas existentes nas proximidades de Ilhéus.

Provavelmente já foram identificadas as principais restrições técnicas e ambientais desta atividade, assim como, os planos de contingencias para as demandas de iminentes impactos.
Abaixo, alguns questionamentos que preocupam a população de Ilhéus:

Abaixo fica as nascentes das águas de servidão 
  • Pode haver contaminação da água pela utilização de defensivos agrícolas?
  • Pode ocasionar a eutrofização dos corpos d’guas em decorrência de adubos e fertilizantes? 
  • Haverá Interferência na redução do volume de água atualmente disponível na região?
  • Como fica os Impactos nos primeiros momento de processos erosivos, com carreamento de sedimentos para curso de águas?Pode acontecer em Ilhéus? 
  • Este plantio afeta a evasão de animais nativos regionais devido cheiros das árvores?
  • Haverá geração de particulado ocasionado pelo transito de maquinários na fase de plantio e corte?
  • Qual será a rota alternativa, ou, o acesso será em via pública urbana de Ilhéus?
  • O cemitério de Ilhéus é localizado na área adquirida pela Cenibra. Ele será preservado com acesso livre ou ficará submerso no centro da floresta que se formará?
  • Haverá geração de empregos na região? Qual será o ganho social? 
São perguntas naturais que podem serem respondidas, através de audiência pública. Seria interessante a que Associação dos moradores de Ilhéus do Prata solicite esclarecimentos através da secretaria de Meio Ambiente do Município de São Domingos do Prata. Certamente a Cenibra prestará as informações necessárias para a comunidade.

No alto local do plantio e ao fundo as nascentes
Morro ao fundo, local do cemitério. Sera tomado por eucaliptos
De qualquer forma, vamos acompanhar desenvolvimento desta nova atividade na região e avaliar os resultados que virão.

Saudações!
Serginho Rocha