por Jayme Silva

Grupo Escolar Cônego João Pio

Com quase um século, o Grupo Escolar Cônego João Pio é parte integrante do patrimônio histórico e cultural de São Domingos do Prata. Além d...

domingo, 1 de dezembro de 2013

Grupo Escolar Cônego João Pio

Com quase um século, o Grupo Escolar Cônego João Pio é parte integrante do patrimônio histórico e cultural de São Domingos do Prata. Além da beleza arquitetônica, esta construção, representa pedaços da história de muitas pessoas que por ali passaram e receberam os ensinamentos para a formação educacional e humana.

Durante a sessão cívica de inauguração do Grupo Escolar em 1921, Jayme Silva, o eterno representante do distrito de Vargem Linda, como sempre o fazia em ocasiões solenes, fez um discurso enfatizando o verbo Evoluir. Referiu-se aquele momento como sendo uma conquista e um triunfo para a cidade de São Domingos do Prata.

Este discurso encontra-se no livro “Jayme Silva: Discursos, Memória e Genealogia” e faz parte do acervo histórico do Grupo Escolar Cônego João Pio, conforme afirma em oficio elaborado pela Instituição e enviado a família de Jayme Silva.

Abaixo, segue a transcrição do discurso e anexos.

Saudações!

Serginho Rocha


Discurso proferido por Jayme Silva, no Grupo Escolar de São Domingos do Prata, por ocasião de ser o mesmo inaugurado em sessão cívica a 2 de julho de 1921.


"Exmº Sr. Presidente; exmº Sr. Dr. Juiz de Direito; Exmº Sr. Diretor; Exmº Sr. Orador Oficial; Exmº Sr. Representante do município de Itabira do Mato Dentro; Minhas exmª Srªs e Meus Srs.

Não se fazia mister que eu levantasse, aqui nesta solenidade a minha voz tênue. Não devia mesmo fazê-lo, nem só porque a ela falta a autoridade necessária, mas ainda porque irá perturbar a impressão agradabilíssima que pairam aos nossos ouvidos, produzida pelas palavras cheias de conceito dos oradores procedentes, verdadeiras autoridades na matéria que neste momento nos assoberba.

Mas, meus senhores, cumprindo um dever cívico, vejo-me forçado a quebrar o silêncio em que preferiria ficar-me envolvido, a fim de desempenhar-me de uma comissão.

Vargem Alegre, meus senhores, distrito que, na verdade, é um dos menores do município, porém grande pela elevação de ideias e princípios de seus habitantes, ele que tem sempre cooperado para o engrandecimento desta terra, não podia deixar de, aqui, nesta hora, ter o seu representante, para trazer de viva voz o concurso de seu aplauso.

E eis porque eu vos dirijo a palavra.
Meus senhores: Evoluir! Evoluir!
Este verbo tem sido a preocupação de todos os tempos e de todas as idades.

A humanidade, desde os seus primeiros dias, vem procurando conquistar a sua evolução, e, assim, vemos todos os povos como uma consequência lógica da lei natural, despertarem o seu progresso.

Há seis mil anos, meus senhores, que o homem saindo do estado na natureza e trazendo em si o gérmen do seu melhoramento, busca num afã sempre constante e crescente atingir o grau de perfectibilidade a que está destinado pela providência, e, em marcha ascensional, lenta mas regular, vemo-lo caminhar até ver se chega a consecução dos seus fins ou do seu desideratum – a civilização perfeita.

E o tempo, meus senhores, tem sido cadinho onde as suas ideias vão se transformando e aperfeiçoando, e, a medida que as necessidades vão surgindo na terra, elas vão sendo satisfeitas em harmonia com as novas ideias e as novas aspirações.

E o testemunho de meu acerto, meus senhores, nós assistimos aqui agora nesta solenidade, em que o povo deste município, vê sagrada uma das suas mais ardentes aspirações, a inauguração, nesta localidade de um grupo escolar, cuja conquista é mais um triunfo que ele associa ao troféu de suas glórias.

Quando falamos de coisas escolares, meus senhores, lembramos com razão, dos livros e das idéias que nos mesmos se contém e então evocando as páginas do passado, à nossa imaginação se destacam dois pontos luminosos, brilhantes que são XV e XVIII séculos que jamais os esquecerá a humanidade.

Se aquele – o XV – século, no ano de 1435, aproximadamente, fez surgir o gênio de Gutemberg, que inventou a imprensa, que disseminou as idéias pelo mundo, este, o século XVIII – dá conta da frutificação dessas idéias com Revolução Francesa de 1789, em que o povo, em assembleia pública, proclamou o “Tratado do Direito das Gentes”, cujo código tem sido o espelho em que se uniram demais nações do mundo.

Essa revolução, meus senhores, é um marco miliário na história da humanidade, porquanto, fazendo ruir o velho edifício, já carcomido do passado, pelos regimes feudais e outras quejandas vernarias, criou ou veio criar para o mundo uma nova era de felicidade e de liberdade.

Bem se pode dizer, meus senhores, que até essas épocas, que me refiro, ainda existia na terra, a aristocracia do saber. As sociedades de então, estavam, assim, divididas: Clero, Nobreza e Povo.

Escusados é dizer que enquanto aqueles dois primeiros estados sociais, ocupavam ou formavam o vértice da pirâmide social, a sua base, - o terceiro estado – jazia na mais cruel ignorância.

Graças, porém, meus senhores, ao influxo dos séculos que já vos aludi, com suas novas idéias – a democracia – enfim, nós dividamos a luz do saber vir descendo pináculo ou vértice da pirâmide social até a sua base, iluminando, assim, todo o seu pedestal, que é a humanidade inteira."
"Disse."

ofício enviado a família de Jayme Silva
foto obtido na internet - Facebook.com
foto publicada no Facebook.com
foto recente

2 comentários:

  1. Oi Serginho
    O prédio do Grupo é lindo, não mudou nada.
    Por acaso a Dalila Silva é sua avó?
    Abs

    ResponderExcluir
  2. Ela é minha avó materna e filha de Jayme Silva.

    Serginho Rocha

    ResponderExcluir