por Jayme Silva

Grupo Escolar Cônego João Pio

Com quase um século, o Grupo Escolar Cônego João Pio é parte integrante do patrimônio histórico e cultural de São Domingos do Prata. Além d...

domingo, 27 de novembro de 2011

Major Oliveira


No livro, “História do Município de São Domingos do Prata”, o autor Prisco Viana, faz uma pequena narrativa  sobre a aventura de Antonio de Oliveira, conhecido por nós como Major Oliveira, que foi o idealista e fundador do distrito de Ilhéus do Prata. Segue abaixo trechos da narrativa.

“... Antônio de Oliveira veio com Costa Leite, do Rio para Minas, a fim de explorarem a rica zona do Rio Doce, especialmente no tocante às fibras descobertas por este último, fazendo plantação do respectivo cipó, em escala tal que lhes produzissem lucro remunerador. Infelizmente, pouco durou a tentativa, porque Costa Leite, a fim de obter numerário para custeio da empresa, dirigiu-se ao Rio de Janeiro, levando boa quantidade do produto (fibras) para o mercado daquela cidade. Falecendo este em caminho, desaparecendo a sociedade em apreço. Oliveira então tratou de pesquisar outros negócios.
Cidadão de vistas largas idealizou a criação de um distrito administrativo em Ilhéus ou em represália a Vargem Alegre, ou ainda, por outra razão que só ele enxergava, o certo é que enfrentou o empreendimento e rumou para Ouro Preto, então Capital do Estado. Político nato; portanto com ou sem carta de apresentação dos políticos locais, dirigiu-se a Ouro Preto e, pessoalmente, apresentou-se ao governador e com diplomacia que lhe era peculiar, obteve a criação do distrito desejado, em 1891, com divisas demarcadas, desmembrando-se o respectivo território do distrito de Vargem Alegre.
As autoridades e funcionários, comentavam os filhos de Candinha, só figuravam em nome, pois, só ele exercia todas as funções: professor, de fato o era, sub-delegado da polícia, juiz de paz, escrivão e tabelião de notas, presidente e membros do conselho distrital, agente e estafeta do correio, etc.
Digam, entretanto o que quiseram, mas o que não se pode negar é que foi ele grande patriota, trabalhador sempre para o bem da coletividade, tendo sido um dos braços fortes do município, politicamente falando. Oliveira foi um herói que merece o título de benemérito do município. Se alguma coisa praticou que mereça censura, o fez como abalizado político, sempre ao lado da situação que sobremodo o justifica.”
Foto em anexo foi publicado no livreto, “História de Ilhéus do Prata” de Aldircélia Sérvula Rosa de Oliveira e Paula Cristina Frade Santiago. Um fato curioso registrado neste mesmo livro, é que, segundo os antigos moradores de Ilhéus do Prata, as primeiras aulas aconteceram, debaixo de uma frondosa gameleira, devido a falta e disponibilidade de uma casa para funcionar a escola.
Saudações,
Serginho Rocha

Um comentário:

  1. Caro Serginho, venho através desta lhe informar que esse nosso patrimônio (Escola Estadual Major Oliveira) está seriamente ameaçado. Recebemos uma notícia no dia 15 de dezembro de 2011, que a mesma seria municipalizada, o que implicaria ou em seu fechamento, ou no funcionamento apenas das séries iniciais (1° ao 5º ano - somente o grupo). Os motivos de seu fechamento ainda permanecem obscuros, não foram prestados os devidos esclarecimentos a comunidade e nem mesmo se realizou uma consulta prévia. Peço assim a sua ajuda, no sentido de mobilizar todos os Ilheusences ausentes na busca de soluções para esse impasse, de forma a pressionar as autoridades competentes.

    Atenciosamente
    Ademar Azevedo Frade
    e-mail: a.azevedofrade@hotmail.com

    ResponderExcluir